Bruno Brega

Bruno Brega – Fonte: (CHITTO, 1978)

Nasceu em Ancona (Itália) em 2 de Março de 1896, Filho de Romeu Brega e Amélia Gasparoni Brega (Maestra Amélia), chegou à Lençóis Paulista com sua família ainda criança em 23 de Junho de 1898. (CHITTO, 1978)

Eram seus irmãos Archângelo Brega, Alfredo Brega, Bianca Brega, Inês Brega Cordeiro e Libia Brega Ciccone.

Naquela época a Estrada de Ferro chegava somente até São Manuel e para chegar a Lençóis Paulista, eram necessários percorrer 6 léguas, que foram vencidas por sua família à cavalo. (CHITTO, 1978)

Romeu Brega e sua família, chegaram à cidade 4 anos depois de seu Pai (Avô de Bruno) o Archângelo Brega, fixando residência no bairro da antiga Rocinha, à margem do Rio Lençóis, hoje Parque Paradão, de onde após alguns meses se mudou para a cidade, morando em algumas casas alugadas. (CHITTO, 1978)

Por volta de 1910, seu pai Romeu Brega comprou uma casa na esquina da Rua 13 de Maio com a Ponte Velha, que atualmente corresponde à esquina entre a Rua 15 de Novembro com a Rua Raul Gonçalves de Oliveira. (CHITTO, 1978)

Aos 14 anos, já era membro da Corporação Musical Giuseppe Verdi, mais tarde casou-se com Luiza Bodini Brega. (CHITTO, 1978)

Recebeu o Título de Cidadão Brasileiro em 13 de Fevereiro de 1940, através da Portaria 3.568, no Governo de Getúlio Vargas e Ministro da Justiça Francisco Campos. Em 4 de Abril de 1940, recebeu o Certificado de Reservista de 2ª Linha. (CHITTO, 1978)

No esporte, tomou parte ativa na fundação do Clube Flor da Mocidade, que foi a primeira entidade de futebol oficial da cidade de Lençóis Paulista, que anos depois se tornou o Clube Atlético Lençoense.   Bruno também teve participação direta e com grande contribuição na construção do Estádio Municipal Archângelo Brega, que leva como homenagem o nome de seu avô. Também foi um dos fundadores do Clube Recreativo Lençoense. (CHITTO, 1978)

Na saúde, desempenho um papel preponderante na Assistência Social, sendo Provedor e Vice-provedor, desde a fundação do Hospital Nossa Senhora da Piedade, atualmente o principal hospital de Lençóis Paulista, seu trabalho foi merecidamente recompensado com a perpetuação de seu nome a um dos pavilhões do Hospital. (CHITTO, 1978)

Mais tarde entrou para a política pelo Partido Republicano Paulista (P.R.P.), onde se tornou:

  • Vereador e Presidente da Câmara em 1926;
  • Prefeito em 1936 se reelegendo em 1939;
  • Coletor Estadual em 20 Setembro de 1940. (CHITTO, 1978)

Foi um ardente batalhador em prol da elevação do Município de Lençóis Paulista à Comarca, se aposentando em 4 de Fevereiro de 1962, após 30 anos de serviço público. (CHITTO, 1978)